Avon reúne cientistas para discutir inovação e democratização da beleza - HM em Revista
 em Notícias

Especialistas cientistas do Centro de Inovação da Avon, localizado em Suffern (EUA), falaram sobre como uma beleza inclusiva, diversa e acessível pode contribuir para a felicidade no presente e no futuro. Em evento online, “A Beleza do Futuro” e “Democratização da Beleza” foram as provocações para as duas conversas, dais quais participaram Lisa Gallo, responsável pelo Desenvolvimento do Portfólio Global de Inovação da Avon, Josie Adams, Vice-presidente Global de Engenharia e Desenvolvimento de Novos Produtos, e Anthony González, Diretor Global de Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos para o Cuidado do Rosto e do Corpo, além de outras executivas dos Laboratórios Avon.
Em Suffern trabalham mais de 200 cientistas de várias disciplinas para a pesquisa e o desenvolvimento de produtos que têm origem nas tendências e mudanças culturais em todo o mundo, a fim de garantir que os produtos de beleza sejam líderes em inovação. “A Avon é uma marca global que tem a oportunidade de estar perto dos consumidores todos os dias. Escutamos esse público constantemente e esse conhecimento contribui para o desenvolvimento de produtos de alto padrão de qualidade e desempenho com as características que as pessoas buscam”, disse Lisa Gallo.
O Centro de Inovação é composto por uma rede de laboratórios que formulam, desenvolvem e testam os produtos. O maior deles é o laboratório de cores, onde 23 pessoas trabalham no desenvolvimento de cerca de 250 novos produtos de maquiagem por ano. Lançar um produto de maquiagem no mercado pode levar de seis meses a seis anos, desde a concepção até a criação. No primeiro momento são avaliadas regularmente as necessidades e as expectativas dos grupos de consumidores neste setor, que está sempre mudando.
A maquiagem é uma das principais categorias na indústria e na expressão do conceito da beleza presente e futura. “O rosto das pessoas é a tela para a autoexpressão. As pessoas têm que sentir a liberdade de resgatar sua herança cultural e expressá-la no rosto por meio da maquiagem. A beleza não é uma ideia única e, sim, um conceito flexível que cada pessoa pode definir. A Avon desenvolve produtos para que cada pessoa possa expressar o seu melhor EU”, disse Candice De-Leo Novak, Líder de Desenvolvimento de Produtos para o Rosto.
O laboratório de cuidado da pele foi responsável por algumas das inovações com mais destaque no mercado de consumo massivo nesta categoria, incluindo a consolidação da vitamina C e dos ácidos AHAs (Alpha Hydroxy Acids). Estas linhas conquistaram uma nova importância atualmente. Sobre isso, Lisa Gallo comentou: “Durante a pandemia, o cuidado da pele se tornou extremamente importante. Os produtos foram aliados da realização de todas as rotinas de cuidado dentro de casa, as pessoas adotaram rituais do ‘faça você mesma'”. A Avon registrou mais de 1.000 patentes de inovação e no último ano apresentou ao mercado a sua mais recente descoberta: o ingrediente Protinol™, que ajuda a recuperar sete anos de colágeno na pele em apenas sete dias. Hoje se vende uma unidade de produtos Avon com Protinol a cada 30 segundos no mundo.

Inovação em prol da diversidade brasileira


Durante o segundo painel, os especialistas também discutiram a atuação da Avon como companhia inovadora, que tem em seu DNA importantes premissas da diversidade, como a inclusão e o respeito à cultura, à história e às características das pessoas de diferentes regiões do mundo. “Nós conseguimos desenvolver produtos específicos para pessoas de diferentes países e regiões, com necessidades próprias para seus tons e subtons de pele, cabelos e corpos porque conversamos com elas. Os produtos nascem a partir dessa co-criação”, comentou Anthony González, Diretor Global de Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos para o Cuidado do Rosto e do Corpo.
“No Brasil, ouvimos histórias de mulheres que sentiam excluídas pela indústria da beleza e essa comunicação e relacionamento que criamos com elas são extremamente importantes para continuarmos em nossa jornada por diversidade e inclusão”, completou Candice De-Leo Novak, responsável, junto à maquiadora Daniela Da Mata, pelo processo colaborativo que ouviu mulheres brasileiras para desenvolver uma nova paleta de cores que atendessem aos seus diferentes tons e subtons de pele. O trabalho foi conduzido de forma humanizada e empática, considerando as percepções, tensões e necessidades não atendidas da consumidora brasileira e resultou em 28 novos produtos, lançados em 2020.

Impacto da pandemia


O Centro de Inovação de Avon, com cerca de 20.000 m², também abriga um Laboratório de Insights. Lá são analisados enfoques tanto qualitativos como quantitativos para descobrir os conhecimentos, as tensões e as necessidades insatisfeitas de consumidores. Por isso, a conjuntura que o mundo enfrenta atualmente foi tema de reflexão e definida por Michelle Chavez, especialista em tendências globais: “A beleza foi reimaginada. A pandemia aprofundou o senso de comunidade, pela primeira vez sentimos que estávamos vivendo um momento em comum com o restante da humanidade e a beleza teve um papel conectando as pessoas com um assunto e atividades que as faziam se sentir melhor em um contexto crítico que nos afetou física e emocionalmente. As pessoas compartilharam um momento de perfume ou a experiência com a pele e a alegria disso. É surpreendente como algo que pode ser considerado superficial agregou tanto valor emocional para melhorar a nossa resiliência”. E concluiu: “O isolamento em casa, por sua vez, nos despertou o sentido da beleza para nós mesmas, pelo prazer de saborear internamente essa experiência”.
Josie Adams refletiu sobre os desafios de inovar neste contexto. “Durante a pandemia os produtos que não transferem foram colocados à prova. A Avon teve a oportunidade de demonstrar o desempenho das suas linhas e validar as suas credenciais em uma situação extrema”, disse.
Junto com as reflexões sobre o presente, o evento teve um espaço para conhecer a visão da Avon e do seu grupo de especialistas sobre o futuro da beleza. “No futuro, tomara que próximo, voltaremos a celebrar, a celebrar a vida, e essa celebração se expressará por meio de uma expressão visual de cores. Sem dúvida a maquiagem ganhará um novo papel. Com as câmeras ligadas voltamos a gostar de usar um batom, por exemplo, em uma nova valorização destes rituais de beleza”, antecipou Gina Ghura, Líder da Equipe de Inovação Futura do Centro de Inovação de Avon. “Também resgataremos desta experiência o prazer de uma beleza sensorial, experiencial, seja na pele, em um perfume ou no jogo que as cores permitem. Resgataremos os sentidos, inclusive – e para – um mundo virtual”.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar