REVENDEDORAS DE COSMÉTICOS EMPREENDEM DURANTE A PANDEMIA - HM em Revista
 em Notícias

A crise econômica potencializada pela pandemia trouxe uma oportunidade para representantes de cosméticos, beleza e bem-estar no modelo de vendas diretas. Antes, a maioria buscava uma renda extra para enfrentar desemprego e recessão. Agora, há planos de carreira e crescimento nesse canal. As empresas do setor constatam que entre 70% e 90% da força de vendas são representadas por mulheres. No pacote, ainda, estão incentivo ao empreendedorismo, à liderança e até a possibilidade de abertura de lojas físicas.

A Avatim, marca de cosméticos e perfumaria fundada na Bahia, lançou em dezembro um novo modelo de franquia. Com investimento a partir de 90 mil reais, essa loja denominada Espaço Avatim, é voltada para cidades com menos de 100 mil habitantes.

As unidades devem atender tanto o público final quanto os revendedores locais, que conseguirão, com isso, mais facilidades para se abastecer. O franqueado não precisa ser revendedor da marca, mas o modelo também pretende ser um aumento de ganhos para quem já representa a Avatim. A primeira loja inaugurada em dezembro é de uma franqueada, que começou na marca como revendedora.

De acordo com o diretor-comercial da empresa, Victor Midlej, “Esse projeto veio para oferecer mais oportunidades de negócio e gerar capilaridade da marca no interior dos Estados. Ele quer aumentar o número de representantes dos atuais 1000 para 2000, total já cresceu 20% entre março e agosto de 2020, em comparação ao mesmo período de 2019.

Para quem é consultora da Natura, é possível abrir uma loja franqueada da marca desde 2016. A diretora de vendas da empresa, Cida Franco, explica que a estratégia é omnichannel, ou seja, atender o consumidor em todos os canais. A consultora é sempre o centro. Para ser dona de uma franquia da Natura, é preciso ser revendedor há pelo menos um ano e atingir determinado patamar de vendas, que a empresa denomina “nível prata”. Cida Franco assinala que” a Natura, ao estimular o empreendedorismo em nossas consultoras, entrega uma maneira de incentivo para o crescimento na atividade”.

No Boticário, dona também da Eudora, as revendedoras podem oferecer pronta entrega em pontos próprios. Elas têm à disposição cursos em marketing, tecnologia, vendas e treinamentos sobre produtos.

As principais marcas do segmento têm planos de crescimento nas vendas diretas. Quanto mais as representantes vendem, maior o porcentual de lucratividade por produto- que gira em torno de 30% – além de bônus e incentivos financeiros.

Em 2020, a pandemia acelerou o processo de digitalização no segmento de vendas diretas. Com isso, as revendedoras ganharam páginas próprias nos e-commerce das empresas e contaram com o apoio logístico para divulgação nas redes sociais.

Levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Venda Direta, ABEVD, aponta que o segmento registrou crescimento de 9% no valor total de negócios até outubro do ano passado (em relação ao mesmo período de 2019). O número de revendedoras cresceu 11%. O setor de venda direta movimentou 45 bilhões de reais em 2019, com cerca de 4 milhões de empreendedores independentes. Desses, 52% atuam no segmento de cosméticos.

Fonte: O Globo

Matéria de Caio Camargo

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar